quarta-feira, 10 de junho de 2009

Cada vez mais Nada.

Muitas vezes quero dizer coisas que não existem, falar sobre sentimentos imaginários e situações irreais.
Muitas vezes confundo o real com o absurdo a tal ponto que nem sei mais em qual deles vivo.
E não sei mesmo. Não encontro a fronteira entre os dois extremos, o mundo ao meu redor me faz sentir tão insignificante e ao mesmo tempo me encoraja, me levando a não saber qual dos lados é verdadeiro.
Sinceramente, tudo me parece real, tocável e verdadeiro. Às vezes a imaginação é mais sólida que a realidade e a realidade tão vulnerável quanto nós mesmos.
O real consome, cansa, aborrece e o imaginário é seu e só seu.
Se alguém não se cansa de tantos dias cheios de nada, por favor, me ensine a ser igual.
Nada não quer dizer nada no sentido literal da palavra, mas um nada pessoal. Um nada que é muito e que não diz nenhuma coisa relevante. O nada que é nada simplesmente por não fazer diferença. O nada que está ali como sempre esteve e não importa se vai permanecer ou não. O mesmo querido nada de sempre.
O nada que é a realidade que vivemos, cheia de coisas e cheia de nada.
E talvez o meu nada seja muito, mas eu sou pequena demais para reconhecê-lo.


Ah, não sabias,
Felizmente não sabias,
Que a pena é todos os dias serem assim, assim:
Que o mal é que, feliz ou infeliz,
A alma goza ou sofre o íntimo tédio de tudo,
Consciente ou inconscientemente,
Pensando ou por pensar
Que a pena é essa…

Vilegiatura, Álvaro de Campos.

5 comentários:

  1. Parabéeens por ser a blogueira da vez da revista maravilhosa que eu sempre leio:ATREVIDA, e pelo seu blog.
    Seu texto estar muito bacana é praticamente uma filosofia :)
    E verdade as vezes é melhor as coisas imaginárias do ques as reais.
    As reais as vezes causa magoas e o imaginário consola.

    Paassa no meu?? confissoesdanessah.blogspot.com

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  2. Adorei o post.
    Muitas vezes preferimos que as coisas sejam imaginarias, do que reais quem no fim podem acabar nos machucando.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. parabéns.
    você escreve muito bem
    e parabéns pela revista

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Nossa cabeça é tão maluca que nos pegamos em um mundo diferente, com sonhos, imaginações, irrealidades... Esse é o nosso "maravilhoso" mundo, onde a sociedade diz o que é real ou irreal. Mas, na verdade estamos apenas na Terra, vivendo dúvidas e conflitos interiores desgastantes e absurdos.

    Talvez você apenas queira falar da sua realidade, suas situações, seus sonhos, seus sentimentos.
    Torne-os sólidos sempre.

    p.s. Parabéns pela matéria na Atrê.

    ResponderExcluir